domingo, 5 de novembro de 2017

COLETIVA DE IMPRENSA, CASO ALLANA LUDMILA. ALGUMAS PERGUNTAS QUE AINDA NÃO FORAM RESPONDIDAS



Na coletiva de imprensa dada pelo secretário de segurança Jeferson Portela, ficou muito claro para toda sociedade maranhense que o ex-padrasto da pequena Ludmila é réu confesso, uma vez que em seu depoimento relatou como cometeu o crime.
Vejamos alguns pontos da entrevista:
PRIMEIRO ATO– Início das Investigações
- Na quarta-feira dia 01 de novembro, iniciasse as investigações realizando uma perícia na casa da vitima e ao mesmo tempo ouvindo algumas testemunhas, entre elas; o ex-padrasto, a mãe da vitima, o pai e vizinhos mais próximos. Horas depois encontramos uma bolsa da vítima num bairro próximo ao Maiobão, naquele momento todo nosso esforço e esperança era encontrar a Ludmila com vida.
- No outro dia ficamos sabendo que por volta das 4hs da madrugada da quarta para quinta-feira o ex-padrasto, Robert Serejo, tinha se evadido da residência dos seus pais, nesse momento ele passa a ser suspeito central da nossa investigação.
- Na manhã de quinta-feira, dia 2, foi expedido um mandato de prisão em desfavor do Robert Serejo.
SEGUNDO ATO– O corpo foi encontrado
- Na sexta-feira, dia 03, alguns populares e vizinhos sentiram um odor muito forte que exalava do quintal da vitima, ao verificarem o local encontram o corpo da pequena Allana Ludmila enterrado numa cova-rasa.
TERCEIRO ATO– Perícia Técnica
- Com a localização do corpo nossa equipe de peritos constatou que a vítima estava com os braços amarrados, um saco preto na cabeça e com várias escoriações em seu corpo.
- No exame de conjunção carnal foi detectado que a criança tinha sofrido um ato de violência sexual.
QUARTO ATO – Prisão de Robert Serejo
- Na manhã de sábado, dia 4, o agora foragido da polícia pegou uma van na rotatória do Tirirical com destino a cidade de chapadinha para casa de alguns parentes que residem naquela cidade, mas o mesmo não logrou êxito na sua fuga, uma vez que dentro da van tinha dois polícia miliares que reconheceram o Robert Serejo e solicitou que o motorista parasse no posto de policia da estiva, nesse momento o Robert recebeu voz de prisão.
  QUINTO ATO – Depoimento de Robert a delegada de feminicídio
- Eu seu depoimento Robert relatou que ao chegar à casa da sua esposa ou ex-esposa ele chamou a criança pela janela da frente e percebeu que a vitima estava só em casa, logo em seguida o assassino pulou o muro que da acesso ao quintal e a porta dos fundo da residência,  tendo acesso ao imóvel uma vez que o mesmo tinha eu seu poder a chave da casa. Logo em seguida se dirigiu ao banheiro onde encontrou a sua presa apenas enrolada em uma tolha, a vitima ainda gritou mais foi contida pelo seu assassino.
- Tudo leva a crer que o crime foi premeditado.
- O assassino descartou a presença da mãe ou a participação de terceiros.
Último Ato – Perguntas que necessitam de respostas
1.    Há quanto tempo o assassino estava separado da mãe?
2.    O filho do assassino morava com a mãe de Ludmila ou com seus avós paternos?
3.    Qual era a frequência de visitas do Robert ao seu filho?
4.    Por algum momento a Ludmila chegou a relatar para sua mãe algum tipo de comportamento estranho com relação a sua pessoa por parte do seu padrasto?
5.    Como era a relação de Ludmila e seu padrasto?
6.    Existe algum relato de vizinhos que tenham ouvidos gritos de dentro da casa?
7.    Como era a relação de mãe e filha?
8.    Como ele teve acesso à chave da casa? Segundo informações os mesmo não tinham mais uma vida conjunto.

Gostaria de saber as respostas para essas indagações. Com a palavra o secretário de segurança pública do estado.




Nenhum comentário:

Postar um comentário