domingo, 12 de agosto de 2012

BIOGRAFIA DA OLIGARQUIA DO FRACASSO: “Os Arosos”



A Oligarquia em nossa região, herança maldita do coronelismo do norte e nordeste colonial brasileiro e impulsionada pelas elites e ditadura militar, somada ao fato de o Maranhão desde sua fundação (1612) possuir características políticas, sociais e econômicas diferenciadas em relação ao restante do Brasil, é a mola propulsora do caos e desgraça política em nosso Estado e especificamente de nosso querido Paço do Lumiar


Qual a relação que existe entre essa história e Paço do Lumiar?


Ora; Paço do Lumiar, vem durante anos servindo de instrumento político para perpetuação do poder e sangrias de verbas públicas municipais para fins de interesse particulares. A conjuntura política eleitoral atual, demanda a formação de grupos políticos, que funcionam como oligarquias locais para extração de recursos exorbitantes de campanhas políticas e manutenção de estrutura para permanência no poder Exemplo Família Aroso.


Por mais de 40 anos, a oligarquia AROSO, vem se alternando no poder de Paço do Lumiar; com administrações cheias de acusações, polêmicas e erros; caracterizada politicamente pelas fraudes, nepotismo e pelo FACISMO. O fato de existir uma Avenida Amadeu Aroso, no Parque Tiago Aroso; são bons exemplos do facismo do grupo (utilização do bem público como meio de propaganda política de homens ainda em vida) A própria câmara municipal possui o nome do patriarca maior da família: Joaquim Aroso.




Se observarmos o fato de que quando da eleição da Prefeita Bia (que se diz Venâncio) suas primeiras ações estavam em colocar a família quase todo no governo: Tiago Aroso (chefe de gabinete e homem forte do governo); Amadeu Aroso ( Ex-Secretário de Assuntos Estratégicos) Eduardo Dutra (sobrinho) e Maria do Socorro (Secretária de Cultura e irmã de Bia Arôso), além de parentes da prefeita até o terceiro grau. Não se sabe quem é que manda, se Amadeu Aroso, o seu filho Thiago Aroso ou Bia que não é mais Venâncio e sim Aroso.


Além disto, ainda encontram-se na cena política de Paço do Lumiar, sedentos pelo poder: O candidato à prefeitura pelo partido do movimento democrático brasileiro (PMDB) Gilberto Aroso e sua fiel escudeira Carmem Aroso.


Não se iludam! por mais que hajam atritos entre a família, eles pertence a um mesmo projeto político oligárquico que visa fazer de Paço um quintal para os Sarney.


A prefeita Bia Venâncio e pelo menos quatro ex-prefeitos aparecem como demandados em 30 atos de improbidade administrativa em Paço do Lumiar (1ª Vara da comarca); Dentre os ex-prefeitos enrolados nestes processos estão: Gilberto Aroso e Amadeu Aroso Neto, ex-gestores municipais.


Pela lógica podemos concluir que: se uma família passa tanto tempo no poder e não realiza grandes obras, não cuida dos recursos e desenvolvimento da saúde, da educação, do saneamento básico, infra-estrutura do município etc; definitivamente está família não se compromete o mínimo que seja com um projeto de desenvolvimento para nossa cidade.
Abaixo encontra-se um pequeno perfil típico dos genes da “família” AROSO:


Essa é a primeira parte da Biografia da Família AROSO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário